Lá vai você fazer uma compra. Chega na loja. Escolhe um produto que a etiqueta diz custar R$1000,00. A loja, supergenerosa, informa que este preço pode ser pago à vista ou em dez prestações “sem juros” de R$100,00. Como você não acredita em “juros zero”, se prepara para pedir um desconto e pagar à vista. Mas você precisa calcular qual desconto justifica meter a mão no bolso e pagar na hora.

imageEsperto que você é, traz sempre à mão o aplicativo Pagar ou Parcelar. Com ele, fica fácil decidir. Rapidamente, você preenche o campo do preço com o valor R$1000,00. No campo referente ao número de parcelas, você preenche com “10”, que é o número de prestações oferecidas pelo estabelecimento. A primeira prestação será paga um mês depois da compra, que é o padrão considerado pelo aplicativo. Assim, não precisamos alterar o botão que define o prazo para a primeira parcela a ser paga. Por enquanto, também deixemos o campo chamado “taxa de atratividade” em branco. Então, basta clicar no botão “calcular”. O aplicativo calcula o preço limite que vale pagar à vista: R$963,00. Ou seja, se o desconto for maior que R$37,00 vale a pena pagar à vista. Se o desconto for menor que R$37,00, é melhor pagar parcelado.

imageO aplicativo comparou as alternativas da compra usando os juros do rendimento da caderneta de poupança (no caso, era de 0,678%), que é um investimento simples, seguro e que todo mundo tem acesso. Não se preocupe em fornecer o rendimento da caderneta de poupança, o aplicativo atualiza esse valor automaticamente de tempos em tempos.

imageSe você é um investidor sofisticado, que obtém no mercado taxas de juros melhores do que aquelas da caderneta de poupança, é o caso de usar o campo “taxa de atratividade”. Preencha esse campo com a taxa de juros que você consegue nos seus investimentos. A taxa mínima de atratividade representa o mínimo que um investidor se propõe a ganhar quando faz um investimento, ou o máximo que uma pessoa se propõe a pagar quando faz um financiamento (de Wikipedia). Por exemplo, se você aplica seu dinheiro em um fundo de investimento que lhe garante 1,2%/mês de rentabilidade, portanto, bem maior que o rendimento da poupança (0,678%/mês), preencha o campo taxa de atratividade com o valor 1,2 e clique novamente em “calcular”.

imageO resultado obtido para o preço limite para a decisão é R$937,00. O desconto precisa ser maior R$63,00 para valer a pena comprar à vista. Para uma taxa maior que a da caderneta de poupança, só é atraente pagar à vista se o desconto for maior. Tem sentido: se você consegue colocar seu dinheiro numa aplicação com rendimento melhor que a poupança, o desconto oferecido na compra tem que ser maior para valer a pena você retirar dos seus investimentos para pagar à vista.

imageUma compra em que as parcelas serão pagas no cartão de crédito podem ser consideradas como tendo a primeira parcela (ou prestação) paga 30 dias depois. Em alguns casos, a primeira parcela acontece na hora do fechamento da compra. O aplicativo Pagar ou Parcelar oferece a possibilidade de definir quando os pagamentos das parcelas serão feitos. Depois de definir o número de parcelas, há dois botões para identificar quando será o pagamento da primeira parcela: “na hora da compra” ou “30 dias depois”. Considerando que os juros da taxa de atratividade usado é 1,2%, se a primeira das dez parcelas acontecer na hora da compra e não no final de 30 dias, devemos indicar isso pressionando o botão “no ato da compra”.

imageClicando em “calcular”, obtemos um novo valor limite de R$948,00. Esse número confirma o raciocínio que, se anteciparmos os pagamentos de um mês, começando por pagar a primeira parcela no ato da compra, o parcelamento fica menos atrativo. Assim, um desconto menor (de R$52,00) já nos direciona para pagar à vista.

Os ganhos parecem pequenos no exemplo que fornecemos. Mas, e se a taxa de atratividade for maior? Se o número de parcelas “sem juros” for maior? Se o valor da compra for significativo? Em todos esses casos, os ganhos em pagar da maneira certa serão maiores.

Bem diz o ditado: “De grão em grão, a galinha enche o papo.”